15 de fevereiro de 2013

Anamnese


Sintomas do tempo gago que urge e ruge e foge, transtorno de personalidade, a noite que quer ser dia e o dia que quer ser nada. Logo quando preciso ser três. Tripolaridade transtornada. Mas sonâmbula nos dias, trupicando nas palavras rasas porque não minhas, tateando-as devagar porque a cabeça? Amnesiando por aí. E onde estava mesmo, que me perdi?
Ah, a esquizofrenia dos dias, corre, corre que o tempo pega. Sempre pega. Mas quando tem que voar finge de manco, coitado, manco maníaco, esse mês é a ansiedade, respira direito, tempo, isso aí faz mal. Bronquite? Hipocondríaco, na verdade, acalma que isso me dá palpitação. 
E toda essa suspiração?
Respira e sossega, tempo, que se te endoida a espera é porque o nome disso tudo é paixão. 

1 comentários:

Ana Lins disse...

apaixonei pelo seu texto.

Postar um comentário